Professor Cardy



Cardicas > Idade Ideal de Casamento

Um estatístico britânico, prof. Dennis Lindley ( London's University College ), concluiu uma fórmula que estipula a idade ideal para o casamento de uma pessoa (veja uma notícia, em inglês, que tratou disso) .

Coletanto outros artigos deste professor entendi de onde essa "mágica fórmula" aparece. Lindley seguiu pela análise do perfil dos casamentos que "dão certo" (os que não se rompem por vontade entre as partes) e os que se rompem por iniciativa de um dos parceiros, ou de ambos... O professor concluiu que os parâmetros X (veja a tabela) e Y são os que podem definir com mais precisão a idade ideal para se casar.

Hmmm, será!? Bem, não é a fórmula, em si, que diz a idade ideal: na verdade é você e sua experiência de vida. Isso ocorre porque na fórmula há uma dose da sua expectativa afetiva futura (X) e uma pitada de sua particular experiência afetiva passada (Y).

 

O professor estudou (com o uso de estatísticas) uma equação que relaciona estas variáveis com M, a idade ideal de casamento. A equação de Lindley é a seguinte:

M é a idade ideal de casamento, segundo o entrosamento expectativa + experiência particular da pessoa.
X é a idade pessoal que o indivíduo imagina que irá desistir de buscar parceira(o). É a sua expectativa de fato futuro.
Y é a idade em que se passou a buscar experiências amorosas, o período de namoros. É um fato ocorrido.
O número "e" da fórmula é a base do logaritmos naturais, é a constante de EULER, que vale (aprox.) 2, 71.

Será que dá certo? Confira no aplicativo a seguir inserindo os dados. Veja o que acontece!

Coloque os novos dados nos boxes dos parâmetros (azul e preto).

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Mais Testes

Teste do Sim ou Não

Nomes que combinam pela Numerologia da Tabela Pitagórica

Calcule o Tempo de Relacionamento

Idade Ideal de Casamento

Biorritmo Diário - Disposições Física, Intelectual, Emocional e Intuitiva

Esta matéria foi cobrada no Vestibular

Vestibulares modernos e eficientes têm usado uma Matemática elegante e diria até, "simpática"... Ou seja, como "Cardicas".

(Faculdades Integradas de Curitiba, provão de verão 2006)